Depoimento​​​​​​​

Maria Lobo

Praticante de Pilates a 17 anos, Maria Lobo deixou seu depoimento para a Home Pilates, confira!

Há 17 anos eu sou assídua e praticante de Pilates e me tornei encantada com o efeito que esta prática refletiu em meu corpo. Logo que li o livro O Corpo fala (Pierre Weil e Roland Tompakow) eu tomei consciência de olhar para mim e examinar minhas posturas, movimentos e tensões, com as quais eu lidava continuamente e consegui observar como andava e anda meu corpo.

Recordo que os primeiros contatos com as aulas de pilates fui toda observada pela fisioterapeuta e assim me fez ver o sentar, o andar, o respirar e nisso tomar posse dos meus desalinhamentos para que com os meus exercícios pudesse buscar uma melhor condução.

Eu possuía dores nas costas terríveis e pude observar que lá atrás quando estudante os professores apontavam para nós que deveríamos sentar com o corpo elevado e não nos abandonar sobre a mesa. Porém, esta fala não vinha conduzida por um exercício postural e aí todo corpo ressentia e o mal estar era generalizado.

Também no acento do carro eu me afundava na maciez do banco, sem me dar conta que ao sentar eu deveria me apoiar de forma que toda coluna se alinhasse. Assim, fui observando que meu corpo era algo sagrado e que eu mesma é que poderia conduzi-lo da melhor forma possível, desde que me tornasse uma vigilante de mim e dos meus movimentos.

Também ao longo desse caminho fui encontrando bons profissionais, geniais fisioterapeutas! Pessoas cuidadosas, gentis e boas observadoras do corpo humano, como as do Home Pilates! Que nos dão estímulos a sermos bons condutores do nosso corpo que envolve nosso SER de elegância e criatividade constante para permanecer inteiros e únicos no meio de uma multidão de corpos.

O pilates foi e tem sido o exercício que mais me favoreceu para não ter as sandálias desalinhadas, nem mesmo as orelhas encostando nos ombros, nem minhas pernas em formato de joelhos que se batem... Essa prática me incentiva a uma boa postura e certamente mais fortalecida e alongada para enfrentar uma idade avançada com bem mais equilíbrio e disposição; com consciência corporal reafirmada no aprendizado que a prática dos exercícios consolidou em mim como um bem que hoje me faz rever sempre que o corpo sinaliza.

Na busca de se trabalhar o corpo e tê-lo como um bem para nós mesmos acabamos atingindo uma sofisticação interna positiva. Isso me leva a desejar me manter alegre, otimista, positiva, enfim, refletindo numa performance interna de bem estar comigo mesma e com a vida.

​​​​​​​O pilates me ajuda a dar sentido ao modo que quero viver, me posicionando diante da vida e dos acontecimentos na busca de um equilíbrio dentro e fora de mim e não permitindo ser levada pelas emoções e instintos sem saber onde estou. Todos nós somos responsáveis pelo corpo que queremos ter e cuidar dele com moderação é uma exigência pessoal que nos leva ao bem estar.  ​​​​​​​